terça-feira, abril 24, 2012

Sujismundo: "Povo desenvolvido é povo limpo"


Emissora: Variado. Ano de Produção: de 1971 a 1972. Cores. Companhias Produtoras: Lynxfilm.
 O personagem Sujismundo foi criado pelo publicitário Ruy Perotti Barbosa, o mesmo criador de personagens como Dr. Prevenildo, Variguinho e Seu Cabral. O personagem, nascido em 1971, não tomava banho, vivia rodeado de mosquitos, jogava papel na rua. Com o slogan “Povo desenvolvido é povo limpo”, a idéia era que o Sujismundo fosse um exemplo de mau comportamento. Sujismundo é ainda hoje, um dos maiores casos de recall da propaganda brasileira. Produzido pela Lynxfilm e exibido em comerciais animados de 60 segundos, entre 1971 e 1972, para a Campanha da Limpeza promovida pelo governo federal, através da AERP, tornou-se tão popular que acabou gerando polêmicas sobre a sua eficiência: sendo irresistivelmente simpático, não estaria ele incentivando a sujeira ao invés de combatê-la em favor da limpeza? O personagem ganhou tanto a simpatia das pessoas que muitos bebês nascidos naquela época foram batizados de Sujismundo em homenagem ao personagem. Esta dúvida, foi esclarecida posteriormente, com pesquisas levadas a efeito em diversas escolas e empresas. Constatou-se que todos simpatizavam com o Sujismundo mas ninguém queria ser como ele. Funcionando como uma "carapuça", virou tema de gozação entre as pessoas que procuravam identificar, entre os colegas, conhecidos, familiares e até de autoridades os verdadeiros "sujismundos", que longe de serem porcalhões intencionais, eram apenas cidadãos comuns, descuidados com a limpeza do ambiente por maus-hábitos adquiridos. Enfim, pessoas que sujavam as ruas por uma questão de educação e falta de informação. Não podemos esquecer ainda, dos processos que as várias pessoas de nome Sigismundo no Brasil puniam o Ministério da Saúde por danos morais, já que todos ficavam tirando sarro daqueles que tinham o nome parecido. O mesmo aconteceu com a campanha do Braúlio pelo uso da camisinha, que não resistiu no ar nem mais de um mês. Atuando como um símbolo contra o acúmulo do lixo, de maneira irresponsável e inconsciente, o personagem Sujismundo (com J e não G), cumpriu plenamente sua missão, sendo até hoje lembrado com saudades pela geração do seu tempo. O personagem Sujismundo foi criado pelo publicitário Ruy Perotti Barbosa, o mesmo criador de personagens como Dr. Prevenildo, Variguinho e Seu Cabral. O personagem, nascido em 1971, não tomava banho, vivia rodeado de mosquitos, jogava papel na rua. Com o slogan “Povo desenvolvido é povo limpo”, a idéia era que o Sujismundo fosse um exemplo de mau comportamento. Sujismundo é ainda hoje, um dos maiores casos de recall da propaganda brasileira. Produzido pela Lynxfilm e exibido em comerciais animados de 60 segundos, entre 1971 e 1972, para a Campanha da Limpeza promovida pelo governo federal, através da AERP, tornou-se tão popular que acabou gerando polêmicas sobre a sua eficiência: sendo irresistivelmente simpático, não estaria ele incentivando a sujeira ao invés de combatê-la em favor da limpeza? O personagem ganhou tanto a simpatia das pessoas que muitos bebês nascidos naquela época foram batizados de Sujismundo em homenagem ao personagem. Esta dúvida, foi esclarecida posteriormente, com pesquisas levadas a efeito em diversas escolas e empresas. Constatou-se que todos simpatizavam com o Sujismundo mas ninguém queria ser como ele. Funcionando como uma "carapuça", virou tema de gozação entre as pessoas que procuravam identificar, entre os colegas, conhecidos, familiares e até de autoridades os verdadeiros "sujismundos", que longe de serem porcalhões intencionais, eram apenas cidadãos comuns, descuidados com a limpeza do ambiente por maus-hábitos adquiridos. Enfim, pessoas que sujavam as ruas por uma questão de educação e falta de informação. Não podemos esquecer ainda, dos processos que as várias pessoas de nome Sigismundo no Brasil puniam o Ministério da Saúde por danos morais, já que todos ficavam tirando sarro daqueles que tinham o nome parecido. O mesmo aconteceu com a campanha do Braúlio pelo uso da camisinha, que não resistiu no ar nem mais de um mês. Atuando como um símbolo contra o acúmulo do lixo, de maneira irresponsável e inconsciente, o personagem Sujismundo (com J e não G), cumpriu plenamente sua missão, sendo até hoje lembrado com saudades pela geração do seu tempo.
Postar um comentário