sábado, maio 26, 2012

Algoritmo de previsão otimiza redes móveis de comunicação

Com informações da NCSU - 24/05/2012
Algoritmo de previsão otimiza redes móveis ad hoc
Além de atender às necessidades dos serviços de emergência, as redes móveis ad hoc poderão viabilizar o funcionamento dos carros sem motorista. [Imagem: Cortesia Pohang University]


Redes móveis ad hoc

Redes móveis ad hoc deverão permitir que as pessoas comuniquem-se umas com as outras enquanto estão no interior de múltiplos veículos em movimento.

Essas MANETs (Mobile Ad hoc NETworks) estão sendo desenvolvidas sobretudo para a interligação de frotas de veículos e para o auxílio dos serviços de emergência, como bombeiros, polícia e ambulâncias.

Mas, quando totalmente otimizadas, elas têm tudo para dar maior conforto aos usuários de internet ou telefonia celular, ou mesmo viabilizar o funcionamento dos carros sem motorista.

O nó das redes móveis

Ainda há desafios para criar MANETs práticas, sobretudo porque não é nada simples transmitir dados entre nós de rede que se movimentam continuamente em alta velocidade.

Quanto mais rápido cada nó da rede está se movendo, mais difícil é para a rede identificar caminhos eficazes para rotear os dados.

Isto ocorre porque a potência dos canais de transmissão de dados flutua muito mais rapidamente com a alta velocidade.

Em outras palavras, um transmissor pode tentar enviar uma mensagem através do roteador A porque ele está naquele momento com um sinal mais forte.

Entretanto, como tanto o transmissor como o roteador estão se movendo rapidamente, o sinal de retransmissão de A pode ser fraco no momento que a mensagem realmente chegar lá.

E um sinal fraco pode resultar em uma mensagem truncada.

Algoritmo previsor

Para resolver esse problema, pesquisadores da Universidade do Estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, desenvolveram um método para melhorar a capacidade de cada nó da rede ad hoc de selecionar o melhor caminho para os dados que deve transmitir.

Quando um nó precisa transmitir uma mensagem, ele primeiro mede a intensidade das transmissões que ele próprio está recebendo dos melhores candidatos para a transmissão da sua mensagem.

Esses dados alimentam um algoritmo que prevê qual rota terá o sinal mais forte no momento em que a mensagem o atingir.

Como está lidando com a intensidade provável do sinal no futuro, o algoritmo também consegue dar uma estimativa da velocidade com que os dados devem ser transmitidos para cada candidato em potencial.

Se ele tenta enviar muitos dados muito rapidamente, a qualidade dos dados irá cair. Se a taxa de transmissão de dados for lenta demais, a rede não irá funcionar com a máxima eficiência.

"Nosso objetivo foi obter a maior taxa de dados possível, sem comprometer a fidelidade do sinal," resume a coordenadora da pesquisa, Alexandra Duel-Hallen.

Bibliografia:

Enabling Adaptive Rate and Relay Selection for 802.11 Mobile Ad Hoc Networks
Neil Mehta, Alexandra Duel-Hallen, Wenye Wang
IEEE International Conference on Communications Proceedings
June 2012
http://arxiv.org/abs/1109.4306
Postar um comentário