quarta-feira, maio 23, 2012

Bico ultrassônico muda a forma a água é usada para limpeza

Redação do Site Inovação Tecnológica - 15/05/2012
Bico ultrassônico promete mudar a forma como se limpa a água

São consumidos cerca de 60 litros de água superpura, filtrada 12 vezes, para fabricar um único processador de computador. [Imagem: University of Southampton]


Bico de limpeza de água

Fabricantes de lavadoras de alta pressão, preocupai-vos.
Cientistas da Universidade de Southampton, no Reino Unido, desenvolveram um novo equipamento que poderá revolucionar a forma como a água é utilizada para limpeza.
O acessório, cujo protótipo é adaptável a torneiras comuns, limpa a sujeira incrustada em superfícies usando apenas água com bolhas e ultrassom, dispensando a pressão.
Os professores Tim Leighton e Peter Birkin ressaltam ainda que seu aparelho funciona com água fria, "com um mínimo de aditivos" e consome energia elétrica equivalente a uma lâmpada.
Dadas as dimensões do protótipo, eles afirmam que a tecnologia pode ser usada para lavar mãos e folhas de alface, mas também serve para limpeza em grandes volumes, incluindo hospitais e indústrias.

Água para fabricar processadores

Muito se fala do uso doméstico da água, mas pouco se fala do seu uso industrial.
Por exemplo, para produzir 1 tonelada de lã, gasta-se 100 toneladas de água pura.
Para fabricar o processador do seu computador, é necessário passar a água por 12 processos de filtragem, para que não restem partículas menores do que 20 nanômetros - elas não podem ser maiores do que um transístor.
E são consumidos cerca de 60 litros dessa água superpura para fabricar um único processador.
Contudo, para ficar apenas em dois exemplos, a limpeza da água hoje depende de tecnologias que consomem muita energia.
Isso ocorre principalmente quando a sujeira não se convence facilmente a sair das superfícies, o que exige tratamentos mais contundentes - geralmente água fervente sob alta pressão.

Bolhas de ar e ultrassom
Bico ultrassônico muda a forma a água é usada para limpeza
A água corrente, sem pressão, sai do bico e consegue fazer uma limpeza que só poderia ser obtida com jatos de água quente muito fortes. [Imagem: University of Southampton]

O novo bico limpador de água tenta resolver isto gerando bolhas e ultrassom.

Ambos percorrem o fluxo de água, onde as bolhas atuam como "purificadores inteligentes microscópicos", segundo os pesquisadores, removendo a sujeira por meio de forças de cisalhamento.
O dispositivo pode ser utilizado em altas e baixas potências, o que o torna adequado tanto para uso doméstico quanto industrial.
O dispositivo utiliza menos água e energia do que os sistemas de pressão equivalentes - aproximadamente 2 litros/minuto, em comparação com 20 litros/minuto, e menos de 200 W, em comparação com 2kW.
O maior ganho energético vem da utilização de água fria, economizando a energia normalmente usada no aquecimento da água.
Outra vantagem é que o sistema gera menos aerossóis, pequenas partículas atmosféricas de água que podem carregar as impurezas retiradas da água e contaminar outras superfícies, um elemento importante em utilização industrial.
Postar um comentário