quarta-feira, maio 18, 2011

Concretos de alta resistência poderão ter durabilidade "milenar"

Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, cientistas estão desenvolvendo concretos especiais e de alta resistência que podem ter durabilidade de até mil anos.

"Isso não é apenas imaginação!", adverte o professor Jefferson Liborio, chefe do Laboratório de Materiais Avançados à Base de Cimento (LMABC), do Departamento de Engenharia de Estruturas da EESC. "Desde a década de 1980, quando começamos a estudar a integração da sílica (dióxido de silício) com o cimento Portland progredimos o suficiente para viabilizar um produto que dure realmente 'mil anos'", conta.

O professor relata que há cerca de 20 anos já foi possível produzir na EESC um concreto com 50 megapascal (MPa) - valor que expressa resistência à compressão - com apenas 6 dias de idade. Segundo Liborio, naquela época (1985) somente se conseguia essa resistência na idade de 28 dias, após longo período de cura. "Atualmente já atingimos 55 MPa em apenas 4 horas", conta.

E os progressos não param por aí. Otimista, Liborio relata que conseguiu produzir um concreto semelhante ao aço, em termos de resistência à compressão. "Temos concretos com 145 MPa em apenas 1 dia, e de 220 MPa em 3 dias. Podemos considerar que a fronteira de resistência para a construção de novos materiais foi atingida", comemora o professor, ressaltando que "já é possível pensar em alternativas ao aço."Concretos de alta resistência poderão ter durabilidade "milenar"
Postar um comentário