sábado, novembro 26, 2011

Governo do Rio apresenta propostas para expansão da energia solar em seminário do setor


 O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, e o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, apresentaram hoje as propostas do Rio de Janeiro para a expansão da energia solar no país, no Seminário Nacional de Energia Solar, na Fecomércio-RJ. Nas reivindicações estão pontos relacionados à regulação, isenção tributária, produção de equipamentos, incentivos à inovação tecnológica e capacitação de recursos humanos.
As propostas servirão de base para a Carta do Sol, que será discutida no Fórum dos Secretários de Energia de todos os estados e, depois, será encaminhada ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). As propostas também foram entregues ao presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, presente ao seminário - promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em parceria com a Secretaria do Ambiente.
- Esta é a contribuição do Rio para que o Fórum dos Secretários de Energia formalize as medidas que devem ser tomadas para aumentar a participação da energia solar na matriz energética brasileira. Esta contribuição também servirá de subsídio ao Tolmasquim, que é quem tem o poder e o dever de promover a energia solar - afirmou o secretário Julio Bueno durante o seminário.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, a ideia da Carta do Sol é fazer pela energia solar o que a Carta dos Ventos foi para a energia eólica. Assinada em junho de 2009, contendo parâmetros semelhantes, a Carta dos Ventos foi fundamental para dar competitividade à energia eólica nos últimos dois anos, fazendo com que seu custo fosse reduzido a um terço do que era cobrado naquela época.
- Como capital da energia do Brasil, detentora de mais de 80% da produção de petróleo nacional, e sendo sede de grandes usinas térmicas, cabe ao Rio o papel fundamental de propor a inclusão da energia solar na matriz energética do país, apoiando as diversas formas de energia renovável que são, na verdade, a energia do século XXI - disse Bueno.
Também participaram do seminário o presidente da Light, Jerson Kelman, o presidente da Fecomercio-RJ, Orlando Diniz, o diretor presidente da Endesa-Cien (controladora da Ampla), Guilherme Lencastre, e o presidente do Conselho de Energia da Firjan, Armando Guedes.
fonte:http://www.revistafator.com.br/
Postar um comentário