terça-feira, abril 30, 2013

IBM anuncia gerador de energia solar capaz de dessalinizar água

Redação CicloVivo
<p>
 O sistema é como um grande prato parabólico, equipado com diversas faces de espelho, capaz de produzir a energia de “dois mil sóis”. | Foto: <a href='http://www.engadget.com/2013/04/22/ibm-alliance-solar-collector-concentrates-power-of-2k-suns/?utm_medium=feed&utm_source=Feed_Classic&utm_campaign=Engadget' target='_blank'>Divulgação</a></p>
O sistema é como um grande prato parabólico, equipado com diversas faces de espelho, capaz de produzir a energia de “dois mil sóis”. | Foto:Divulgação


A IBM apresentou na última segunda-feira (22) um novo modelo de sistema de produção de energia fotovoltaica. A tecnologia é altamente eficiente e a empresa promete redução de até três vezes nos custos, em relação aos modelos tradicionais.
O protótipo recentemente apresentado começou a ser desenvolvido há três anos e contou com o apoio de diferentes empresas ligadas à área de tecnologia. O resultado foi um equipamento eficiente para mais de uma função.
A Associação Europeia de Eletricidade Térmica e Solar, juntamente com o Greenpeace, fez uma análise da eficiência do protótipo. De acordo com o estudo, seria necessário utilizar a tecnologia uma área de apenas 2% do Deserto do Saara para produzir energia limpa para todo o mundo.
Apelidado de HCPVT, o sistema é como um grande prato parabólico, equipado com diversas faces de espelho, capaz de produzir a energia de “dois mil sóis”. O protótipo é inteligente, assim o sistema é disposto de acordo com a posição do sol, de forma a aproveitar ao máximo a energia que ele oferece.
Os raios de sol que se refletem nos espelhos são direcionados aos receptores, em que cada pequeno chip de 1x1 centímetro instalado é capaz de converter de 200 a 250 watts ao longo de oito horas de um dia tipicamente quente. A refrigeração direta aplicada ao HCPVT foi inspirada no sistema de bombeamento do corpo humano.
“Pretendemos usar células fotovoltaicas de tripla junção em um módulo de microcanais, que pode converter diretamente mais de 30% da energia coletada do sol em eletricidade. Isso ainda permite a eficiência de 50% na recuperação do calor”, explica Bruno Michel, gerente de embalagem térmica da IBM, em material divulgado pela empresa.
A estimativa é de que a tecnologia chegue ao mercado com preços bastante acessíveis, na faixa de US$250 por metro quadrado. Assim, o custo nivelado pela energia seria menor que dez centavos de dólar por quilowatt-hora, valor equivalente ao da eletricidade gerada por carvão.
Outro grande diferencial do HCPV é a sua funcionalidade para a dessalinização da água. Através de uma membrana porosa, a água utilizada no resfriamento do sistema é destilada, vaporizada e então dessalinizada. De acordo com a fabricante, o sistema poderia fornecer de 30 a 40 litros de água potável por dia a cada metro quadrado de sistema.

Postar um comentário