domingo, outubro 14, 2012

Jornal do Brasil - Ambiental - Praia mais suja da Europa ganha "faxina" de ONGs


Com 52,51% dos votos, a praia de El Pozuelo, na cidade granadina de Albuñol (Espanha) ganhou o título de mais suja do ano na Europa pela ONG Save the Beach e, por isso, obteve ajuda para limpar a orla. Durante o dia 29 de setembro, a pequena cidade recebeu 250 voluntários para a retirada de 15 mil l de resíduos em 2 km de praia. E a limpeza veio em boa hora, já que com o outono europeu chegam também as chuvas para levar todo o lixo para o mar. Puri Blanco, membro da Associação de Voluntários de Almería, conta que o local realmente merecia o prêmio: "já limpei muitas praias, mas esta foi a pior que vi. Uma tristeza perceber que tanta gente daqui permita esta sujeira".
Foram encontrados televisores, garrafas, latas, brinquedos e principalmente embalagens plásticas, mas este parece não ser o pior problema. "Produtos químicos são despejados aqui sem o menor cuidado, contaminando toda a região", explica Pepe Rubia, membro da ONG Ecologistas em Ação.
Para os envolvidos com ONGs de proteção ao meio ambiente, o trabalho é ainda mais difícil porque Albuñol é uma cidade pequena e os guardas de proteção ambiental não conseguem grandes progressos, mesmo apoiados nas leis
Para os envolvidos com ONGs de proteção ao meio ambiente, o trabalho é ainda mais difícil porque Albuñol é uma cidade pequena e os guardas de proteção ambiental não conseguem grandes progressos, mesmo apoiados nas leis
Todos os anos a organização abre o site para que cidadãos denunciem áreas litorâneas poluídas em toda a Europa e, depois de votação popular, os voluntários entram em ação. "A praia ganha como mais suja não porque seja a que tenha mais resíduos, mas sim por ter a população mais consciente da necessidade de sua limpeza. Vimos outras imagens de lugares que também precisam de ajuda, mas que não tiveram tanto apoio popular", ressalta Loreto Resco, assessora de imprensa da Save the Beach.
Desde 2008 o site da ONG recebeu mais de 720 denúncias de praias poluídas na Europa. Entre elas está Spiaggia dei Maronti, na Itália, que ficou com o segundo lugar este ano. Na edição do ano passado, a praia que recebeu os voluntários da ONG foi a Cala Paradiso, na Sicília italiana; a Bahía de Portmán, no litoral espanhol, foi limpa em 2010; a costa romana de Capocotta, se livrou dos dejetos na primeira edição, em 2009. "Nós sabemos que há muito mais o que fazer e tentamos conscientizar as pessoas da importância de manter as praias limpas", conta Loreto Resco.
Poluição em El Pozuelo, um problema antigo
Não é de hoje que a praia de El Pozuelo é conhecida pela poluição. Juan Antonio Martínez, vice-coordenador da Ecologistas em Ação, luta para manter o lugar limpo há mais de 11 anos. O problema ali, segundo ele, são os pequenos produtores de tomate, que jogam na praia todo o lixo de suas plantações e causam prejuízos imensos para a fauna e flora local.
Ainda segundo Martínez, que já fez mais de 100 denúncias, a maior parte do lixo pode ser dividida em três grandes categorias: os galhos e folhas que sobram após a colheita contaminados com pesticidas; o plástico, ferro e arame que já não servem e são jogados nas praias, causando a morte de animais marinhos; e os recipientes de produtos químicos, altamente tóxicos e, com a água da chuva e do mar, são espalhados pela região.
No ano 2000 foi feito um trabalho de conscientização e empresas que reciclam plástico se instalaram em cidades próximas, mas há quatro anos, tudo mudou. "Os pequenos produtores não entendem a importância de se recolher estes resíduos, que não deveriam chegar à praia, e hoje a situação está bem pior", explica Martínez. "No ano passado fizeram uma 'limpeza'. Juntaram todos os resíduos e queimaram numa grande fogueira tóxica, ou seja, quase pior o remédio que a doença", afirma indignado.
Para os envolvidos com ONGs de proteção ao meio ambiente, o trabalho é ainda mais difícil porque Albuñol é uma cidade pequena e os guardas de proteção ambiental não conseguem grandes progressos, mesmo apoiados nas leis. "Ninguém vai denunciar um vizinho, e o prefeito diz que não tem dinheiro para investir na praia, mas reclama que propostas como a nossa ou a do Save the Beach dão uma má imagem para a cidade. No fim, os maus são os que reclamam e não aqueles que poluem", completa.
Postar um comentário